Séc. XIII

      No século XIII o uso de cotas de armas, túnicas sem mangas que cobriam a cota de malha, introduzidas no século anterior, já era de uso comum. As cotas de armas tinham duas funções: evitar o aquecimento da cota de malha por exposição directa aos raios solares, e identificar o cavaleiro através da exibição de padrões de cores característicos que distinguiam indivíduos, famílias ou ordens militares. Esses padrões podiam também ser reproduzidos no escudo do cavaleiro.

      Outro elemento que entrou em uso comum nesta altura, mais entre os cavaleiros do que entre os combatentes de classes sociais inferiores, foi o elmo fechado, que tinha uma forma cilíndrica, com topo raso, e protegia completamente o crânio e a cara do utilizador deixando pequenas aberturas para permitir a visão e uma série de orifícios para a respiração.

       Apesar de limitar consideravelmente a percepção do combatente, tanto a nível visual como auditivo, estes elmos forneciam um nível de protecção muito superior ao do casco empregue no século anterior, sobretudo em relação aos impactos frontais, algo que acontecia frequentemente no treino de combate e nas batalhas em que se envolvia o cavaleiro montado (em oposição ao homem d'armas que combatesse apeado), sobretudo quando confrontado com outros cavaleiros montados. A restrição de visão também não era muito prejudicial para quem combatia a cavalo pois o movimento da carga montada era essencialmente frontal e a intercepção por ameaças laterais era difícil. Já no combate a pé tal restrição podia revelar-se fatal e era comum o elmo ser removido pelo cavaleiro que se visse desprovido de montada, contando então com a protecção da malha de ferro que lhe protegia a cabeça, assim como, eventualmente, de um casco que traria posto mesmo por baixo do elmo fechado.

      Perneiras de malha de ferro tornaram-se também muito comuns neste século, eventualmente (mais para o final do século) reforçadas com caneleiras de metal (grevas). Os primeiros exemplos de escarpas, sapatas ou sabatons, peças de metal articuladas que protegiam os pés, começaram a ser empregues na segunda metade deste século.
Comments